Site Oficial

Hamilton pantera negra

Hamilton 92 vitórias na F-1

 

Os recordes da Fórmula 1

 

Aconteceu o que o mundo esperava da F-1 2020: Lewis Hamilton chegou a sua 92ª vitória bateu o recorde do grande Michael Schumacher e estabeleceu uma marca que será improvável de ser superada. Pelo menos nos próximos 20 anos, dependendo os rumos técnicos e políticos  da Fórmula 1. Mais as 92 vitórias e as 97 poles positions não fecham a conta de Hamilton na categoria. Ele têm mais 5 corridas este ano e, segundo o próprio piloto, mais três temporadas na F-1 no horizonte da carreira.

Com 14 anos na F-1, 262 gps disputados, 52 recordes de voltas, 3.687 pontos marcados e 252,48 km na liderança, aos 35 anos, no rumo do 7º título mundial,  Lewis Hamilton sobe ao trono com marcas espetaculares. Ele levou as conquistas a parâmetros tão elevados que é difícil imaginar alguém, pelo menos na próxima década, em condições de superá-lo.

Mas a Fórmula 1 sempre viveu a expectativa da quebra de recordes . Desde que o inglês Stirling Moss alcançou a sua 16ª vitória no GP de Mônaco de 1961 que,começou a corrida superação dos recordes. O lendário Juan Manuel Fangio superou Moss e disparou, contabilizando 24 vitórias no GP da Alemanha de 1967, cravando um número que acreditava-se ser imbatível. Mas durou apenas um anos, até o GP da  África do Sul de 1968,  o fantástico Jim Clark cravou o seu 25º triunfo na F-1.  Porém  iniciava-se a era Jackie Stewart, o escocês voador, que foi derrubando a marca de Moss, Fangio e, finalmente, a de Clark ao consagrar 27 vitórias no GP de da Alemanha em 1973.

Também julgava-se uma proeza inatingível, com a F-1 tendo um calendário de 12  grandes prêmios anuais. Stewart reinou por 14 anos, até que no GP de Portugal, em Estoril, na temporada de 1987, o  ”le petit”  Alain Prost  – o piloto com gabarito de jóquei — destronou o escocês ao vencer o seu  28º grande prêmio, derrubando a marca de um mito.  Ayrton Senna (41) Nigel Mansell (31) também ultrapassaram Stewart, mas foi  Prost que estipulou novo recorde a ser batido na F-1 ao consagrar a sua vitória de número 51, no GP da Alemanha de 1983.

Parecia outra marca difícil de atingir quando Michael Schumacher venceu o seu primeiro grande prêmio na Bélgica em 1992, iniciando uma disparada que só terminou no GP da China de 2006.  Schumy atingiu a fantástica cota de 91 vitórias em 241 corridas nos 15 anos de F-1, com a conquista de 7 títulos mundiais, em 10 anos — de 1994 a 2004.  O maior currículo na F-1  até esse domingo de 25 de outubro. Uma façanha que o mundo julgava definitiva, como também se pensava dos recordes de Fangio Clark, Stewart e Prost. Agora é o espetacular Lewis Hamilton quem está na vitrine. Imbatível? Até quando? (LM)

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>