Site Oficial

Brilha Hamilton, a nova estrela da F-1

Hamilton Malásia 007 b

Hamilton à frente das Ferrari

Hamilton Malásia 07

A 1ª dobradinha com Alonso na McLaren, Sepang 2007

Fernando Alonso venceu, Kimi Raikkonen foi comportado, Felipe Massa errou e a McLaren sobrou, no GP da Malásia. Mas o grande artista da corrida foi Lewis Hamilton. O novato inglês, nascido no Caribe, de 22 anos, dois pódios e 14 pontos em duas corridas, é a mais grata revelação da Fórmula 1 2007, e um fenômeno na história da categoria.

Lewis demonstrou, pelo menos quatro virtudes que fazem um grande piloto: foi atrevido na largada, saiu de 4º, para ultrapassar Felipe Massa, o pole position, e Kimi Raikkonen.  Corajoso porque resistiu ao assédio desesperado do brasileiro nas seis primeiras voltas, dando até um “X” em Massa. Técnico, por que não cometeu nenhum erro nas 56 voltas da prova e, finalmente, consciente por saber fazer, com competência, o jogo de equipe, propiciando a Fernando Alonso a 16ª vitória, seguramente a mais fácil da carreira do  bicampeão. E, de quebra, consagrou uma dobradinha espetacular da McLaren, em Sepang.

Além de tudo isso, o jovem piloto negro, termina a segunda corrida da vida na Fórmula 1, em 3º lugar no campeonato, com 14 pontos.

O ninguém podia imaginar foi a superioridade dos  McLaren MP4-22 sobre as  Ferrari 2007, no circuito malaio. Foi tão claro que Kimi Raikkonen jamais teve ânimo para brigar pelo segundo lugar com Lewis Hamilton, que correu a sua  frente desde a 7ª, das 56 voltas. Tampouco o Iceman poderia chegar em Fernando Alonso. Seria uma missão impossível, já que o asturiano fechou a corrida com 23 segundos de folga Raikkonen.

Já Felipe Massa soube muito cedo que estava enfrentando um novo McLaren.  Depois de cair para  3º na largada, ele tentou recuperar-se de faca nos dentes. Foi o melhor momento do GP da Malásia. Massa foi com tudo para cima de Lewis Hamilton, mas encontrou um obstáculo intransponível no inglês. Deu um show de combatividade, tentou de todas as formas a ultrapassagem, até errar a freada e sair da pista. Foi uma forma ingrata, mas clara,  de descobrir que tinha carro superior e um bom piloto à sua frente.

Felipe caiu para 5º, atrás do emergente BMW de Nick Heidfeld, e teve que se contentar nessa  colocação até o fim da corrida.

E vale um aviso especial a Fernando Alonso. Cuide-se bicampeão, Lewis Hamilton pode querer passar de coadjuvante a artista principal, uma decisão que ele parece ter preferência de tomar na pista. Felipe Massa que o diga.

Perdão pelo lugar comum, mas naquele GP da Malásia de 2007, estava nascendo uma nova estrela na F-1. E o mais importante, a primeira estrela negra. (LM).

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>