Site Oficial

Sem categoria

Gasly e Apha Tauri, a primeira  vitória na F-1

2020 Italian GP

Uma das poucas possibilidades de Lewis Hamilton não ganhar um grande prêmio nesta temporada era acontecer uma grande zebra. E ela ocorreu em Monza, numa corrida que ficará para a história do Grande Prêmio da Itália pela vitória do francês Pierre Gasly. Mas é preciso esclarecer em que circunstâncias o triunfo da  Alpha-Tauri concretizou-se.

A rigor, tirando o merecido triunfo de Gasly, o GP da Itália foi um festival de erros e fracassos, a começar pela Mercedes que decretou a derrota de Hamilton. A principal barbeiragem  foi protagonizadas pelos engenheiro de Hamilton que, apressadamente,  chamaram o  piloto para o pit stop de pneus, após o acidente de Charles Leclerc, que destruiu a sua Ferrari contra o muro nas .. volta. Porém o boxe estava fechado, pois o carro de segurança recém tinha entrado na pista e não havia, ainda, a situação de boxe livre. Uma atitude que puniu Hamilton em 10 segundos, cumprida com a passagem pelos boxes. Uma inexplicável equívoco do staf da poderosa Mercedes, que, pelo menos, adiou a 90ª vitória  o campeão, que  passou de líder folgado a último e terminou em 7º.

Mas houve outros fracassos. O de Valtteri Bottas começou logo na largada, O finlandês, 2º no grid, partiu mal, perdeu seis posições, não recuperou-se e fechou em 5º. Max  Verstappen, normalmente escudeiro das Mercedes, abandonou na 33ª das 53 voltas sem aproveitar o mau dia da dupla Hamilton-Bottas.

Porém, o maior fracasso dessa corrida de Monza, foi mesmo o da Ferrari. Competindo no circuito que é considerado a sua casa, o fiasco aconteceu já na classificação. Leclerc não foi além do 13º e Vettel, que sequer disputou a Q3 , ficou num frustrante 17º, posições que um piloto da a Ferrari não ocupava há décadas numa largada. Na corrida a Ferrari de Vettel simplesmente ficou perigosamente sem ação freios e o alemão passou direto na primeira chicane, ficando fora o grande prêmio na 6ª volta.

Leclerc correu mais perigo. Foi ao extremo com um o carro que rendia pouco, errou numa tomada de curva e foi direto para o choque forte no muro de pneus. Escapou ileso, de uma Ferrari destruída, mas o acidente mudou toda o roteiro da corrida. Com Hamilton punido e um concorrido pit stop geral de pneus, a provafoi interrompida e reiniciada com uma nova ordem de largada liderada pelo safety car.

Aí começou um novo e, até, emocionante Grande Prêmio da Itália. Pierre Gasly na ponta seguido de Lance Stroll, Carlos Sainz, Kimi Raikkonen, Lando Norris, Daniel Ricciardo e Esteban Ocon , num pelotão que jamais se viu dominado uma corrida neste 2020. A grande atração foi a disputa de Gasly contra Carlos Sainz pela vitória, nas voltas finais. O francês resistiu bem e chegou a sua inesperada, mas merecida vitória, bem assessorado pelos seus engenheiros da Alpha-Tauri Honda.

Mas zebras à parte, o campeonato pouco mudou. Hamilton continua líder folgado com 164 pontos, agora seguido de Bottas, com 117, que superou Verstappen pela vice-liderança com 110. O herói do grande prêmio, Pierre Gasly, é o 8º colocado com 43 pontos. (LM)

Classificação:

.

 Cla 

 Nº 

 Piloto   Carro / Motor 

 Voltas 

 

1

10

Pierre Gasly AlphaTauri/Honda

53

2

55

Carlos Sainz Jr. McLaren/Renault

53

3

18

Lance Stroll Racing Point/Mercedes

53

4

4

Lando Norris McLaren/Renault

53

5

77

Valtteri Bottas Mercedes

53

6

3

Daniel Ricciardo Renault

53

7

44

Lewis Hamilton Mercedes

53

8

31

Esteban Ocon Renault

53

9

26

Daniil Kvyat AlphaTauri/Honda

53

10

11

Sergio Pérez Racing Point/Mercedes

53

11

6

Nicholas Latifi Williams/Mercedes

53

12

8

Romain Grosjean Haas/Ferrari

53

13

7

Kimi Räikkönen Alfa Romeo/Ferrari

53

14

63

George Russell Williams/Mercedes

53

15

23

Alexander Albon Red Bull/Honda

53

16

99

A.Giovinazzi Alfa Romeo/Ferrari

53

(16)

33

Max Verstappen Red Bull/Honda

30

(6)

16

Charles Leclerc Ferrari

23

(18)

20

Kevin Magnussen Haas/Ferrari

17

(20)

5

Sebastian Vettel Ferrari

6

 

 

 

 

Hamilton StyrinHamilton Styrin

 

A corrida de Lewis Hamilton deixou, definitivamente, de ser por cada grande prêmio para ser a consagração pelos recordes supremos da Fórmula 1. Na Espanha ele marcou a 92ª pole position — recorde absoluto –, cravou a 88ª vitória e agora faltam apenas 3 para igualar-se ao grande Michael Schumacher, como o maior vencedor desses 70 anos da F-1.

No circuito espanhol, Hamilton venceu e, mais uma vez, convenceu, marcando a sua 156ª subida ao pódio , uma a mais que  Schumi. A vitória do inglês foi tranqüila, de ponta a ponta, dando-se ao luxo de ditar o ritmo da prova, poupando pneus para evitar o desgaste numa pista com 50 graus de temperatura. Não teve em nenhum momento a ameaça de Max Verstappen, 2º desde a largada,  e que chegou a ser apontado como favorito da corrida. Mesmo  com o  forte calor– Valtteri  Bottas (3º) chegou a se queixar da cor negra do macacão — Lewis Hamilton saiu do carro, após as 66 voltas do grande prêmio como se não tivesse suado.

Tampouco o campeonato de Construtores reserva  alguma emoção. A Mercedes  disparou, têm 221 pontos, contra 135 da Red Bull. A Ferrari têm apenas 61 pontos, quem diria, atrás da Racing Point,63, e da Renault, 62.

O GP da Espanha 2020, foi tão desigual que apenas os pilotos que foram ao pódio, Hamilton, Verstappen e Bottas completaram as 66 voltas da prova, os demais 17 ficaram, no mínimo, a uma volta atrás. Agora a F-1 respira e só volta  dia 30 de agosto, no circuito de Spa-Francorchamps, no GP da Bélgica, Uma pista seletiva e que sempre apresenta algumas surpresas. Vamos ver se pelo menos votam as emoções ou se teremos a repetição a monótona sinfonia da Mercedes e sua prima-dona.(LM)

Hosé Maria Rubio

ANÁLISE

 

JM Rubio

 

 

NUESTRA NOTA

 

Hamilton 5

Aprendió mucho de la pasada carrera y lo llevó a la práctica en Montmeló. Ya es récord en podios con 156

 

VERSTAPPEN 5

Otro “carrerón” desde la misma salida, al superar a Bottas, que ya no pudo con él. Se consolida 2º del mundial

 

BOTTAS 3

Una mala salida y su poca decisión a la hora de adelantar le alejó del segundo puesto. Hizo la vuelta rápida gracias a una última parada para poner neumáticos blandos

 

STROLL 5

Gracias a su gran salida, a la gestión de las gomas y a la sanción de Checo, se clasificó 4º. Iba a 1 parada, pero cambió a 2

 

PEREZ 4

La FIA ha de revisar los avisos de banderas azules. 5 seg. De sanción. Cuando le señalaron Hamilton estaba tan lejos como Alonso de Massa en Monza 2006.

SAINZ 5

Gran carrera en el GP de España, en el que ha puntuado las 6 veces que lo ha disputado. Merecida 6ª posición. No hay material para más

 

VETTEL 3

Fue a un solo pit stop, lo que le permitió puntuar (7º), hizo todo lo que pudo, pero los Ferrari siguen sufriendo sin equilibrio ni potencia

 

ALBON 2

No tiene nada que ver con Max. Culpó a los neumáticos de su complicada carrera (8º), se quejó de Sainz, ¿ve su puesto en peligro frente a Gasly?

GASLY 4

2ª vez consecutiva que puntúa después de una gran salida –adelantó a Leclerc y Norris- y luchando con los McLaren en carrera

 

NORRIS 2

Una carrera difícil desde la salida –le adelantaron Leclerc y Gasly- y luego ya no pudo recuperar la 8ª posición. Fue 10º

 

RICCIARDO 2

Primer GP de la temporada en el que Renault no puntúa, mucha igualdad en el medio del pelotón. Solo fue a 1 parada y no lo aprovecho

 

KVYAT 2

Fue sancionado con 5sg por ignorar las banderas azules aunque conservó la 12ª posición. No estuvo a gusto en carrera

 

OCON 2

Durante el fin de semana le faltó adherencia y se quejó del comportamiento del Renault, no fue igual que en Silverstone

 

RAIKKONEN 2

Han mejorado el coche, pero les falta mucho. Debió de haber usado los blandos en su primera parada y repetir en la segunda, iban mucho mejor

 

MAGNUSSEN 2

Fue de los pocos que solo hizo 1 pit stop, dijo que todo le salió bien, pero acabó 15. Quizás el Haas no da más de sí

 

GIOVINAZZI 2

Dejó atrás a tres pilotos, lo que no está mal para salir último. No logra despegar y su futuro es más que incierto

RUSSELL 2

Otro que se conforma con poco, aunque tiene mucho potencial. Adelantó 2 posiciones en la salida, batalló en carrera y reconoció estar contento y fue 17º

LATIFI 2

Buena salida, pero tuvo problemas con el primer juego de neumáticos que le condicionó toda la carrera. Duro aprendizaje.

GROSJEAN 1

Desastrosa carrera para el francés, que sigue último del mundial. El viernes le fueron bien las cosas, pero no da la talla

 

LECLERC 3

Podía haber terminado 6 o 7. Caló el motor por un problema eléctrico en la chicane. Se soltó los cinturones para bajarse del coche, pero lo arrancó y abandonó en boxes.

 

 

 

Mundial:

1

Lewis Hamilton

132  

2

Max Verstappen

95  

3

Valtteri Bottas

89  

4

Charles Leclerc

45  

5

Lance Stroll

40  

6

Alexander Albon

40  

7

Lando Norris

39  

8

Sergio Pérez

32  

9

Carlos Sainz Jr.

23  

10

Daniel Ricciardo

20  

11

Sebastian Vettel

16  

12

Esteban Ocon

16  

13

Pierre Gasly

14  

14

Nico Hülkenberg

6  

15

Antonio Giovinazzi

2  

16

Daniil Kvyat

2  

17

Kevin Magnussen

1  

Construtores

1

Mercedes 221

2

Red Bull/Honda 135

3

Racing Point/Mercedes 63

4

McLaren/Renault 62

5

Ferrari 61

6

Renault 36

7

AlphaTauri/Honda 16

8

Alfa Romeo/Ferrari 2

9

Haas/Ferrari 1

10

Williams/Mercedes

 

Verstappen México 17

Verstappen e  a Red Bull deram show no GP F-1 20 anos

Max Verstappen, com uma pilotagem estupenda e seguindo uma experta tática de boxe, foi o justo vencedor do GP de 70 anos da F-1. A Red Bull propôs ao seu piloto uma estratégia arriscada para poder enfrentar a Mercedes Benz, de Lewis Hamilton e Valtteri Bottas, em Silverstone. A jogada, que dependeria do braço e do arrojo do holandês, começou na classificação. Vestappen foi para a Q2, segunda bateria de classificação, que define os pneus para a largada, com compostos duros, os bandas brancas. Mesmo com desvantagem para a maioria do pilotos que competiram com os pneus médios, mais velozes, ele conseguiu o 4º lugar no grid, atrás das duas Mercedes de Bottas (pole position) de Hamilton e de Nico Ulkemberg, que substituía Sergio Perez na Racing Point.

O segundo ato pra Verstappen era dar uma boa largada e aproveitar a maior durabilidade dos pneus duros para prolongar o  primeiro pit stop. Bem planejado, melhor executado. O holandês voou na largada, ultrapassou Ulkemberg e colou em Hamilton de olho no pit stop de Bottas. Deu tudo certo. Após as paradas de Bottas e Hamilton, Verstappen, sempre pilotando no limite, assumiu a liderança, à espreita da segunda parada de Bottas. Quando ela aconteceu, a sua equipe deu ordem para ele entrar no boxe junto com a Mercedes. Nova boa jogada da Red Bull e o resto ficou por conta da perícia do piloto. Ai aconteceu a bela ultrapassagem sobre Bottas para, em seguida, voltar a liderança após o segundo pit stop de Hamilton.

Foi a vitória da estratégia aliada a estupenda pilotagem de Max Verstappen e, talvez, um pouco de soberba da Mercedes, que viu-se contundentemente derrotada com todo seu poderio. Foi esse o resumo da corrida que marcou o Grande Prêmio dos 70 anos da F-1, comemorando a sua primeira  largada da história em 13 de Maio de 1950, na mesma pista de Silverstone.

Um grande prêmio que também entra para a história marcado pela triste fase da Ferrari. Tão decepcionante até para o mais fiel dos italianos. No grid de 20 carros de Silverstone, Charles Leclerc  classificou-se em 8º e o tetracampeão Sebastian Vettel em 12º, sem sequer ter participado da Q3. E o pior: o motor Ferrari foi o 8º, batido pelos Mercedes, Honda e Renault. Uma situação vexatória que chegou ao ponto de Vettel, sabidamente um dos melhores pilotos da história da F-1, não conseguir um acerto razoável para sua Ferrari, demonstrando que os engenheiros da equipe  italiana estão perdidos. Vettel ainda rodou na largada caindo de 11º para último e emplacou um 12º lugar  às duras penas. Leclerc, que fez apenas uma parada para troca de pneus, fechou num 4º lugar heróico.

Definitivamente,  esse atual modelo SF-1000 equipado com  o motor 065 da Ferrari, é um projeto infeliz, condenado ao museu. (LM)

 

Grid:

 Cla 

 Nº 

 Piloto   Carro / Motor 

 Tempo 

 Atraso
[s]  

 Atraso
[%]  

1

77

Valtteri Bottas Mercedes

1’25.154

-

-

2

44

Lewis Hamilton Mercedes

1’25.217

0.063

0.074

3

27

Nico Hülkenberg Racing Point/Mercedes

1’26.082

0.928

1.090

4

33

Max Verstappen Red Bull/Honda

1’26.176

1.022

1.200

5

3

Daniel Ricciardo Renault

1’26.297

1.143

1.342

6

18

Lance Stroll Racing Point/Mercedes

1’26.428

1.274

1.496

7

10

Pierre Gasly AlphaTauri/Honda

1’26.534

1.380

1.621

8

16

Charles Leclerc Ferrari

1’26.614

1.460

1.715

9

23

Alexander Albon Red Bull/Honda

1’26.669

1.515

1.779

10

4

Lando Norris McLaren/Renault

1’26.778

1.624

1.907

11

31

Esteban Ocon Renault

1’27.011

1.857

2.181

12

5

Sebastian Vettel Ferrari

1’27.078

1.924

2.259

13

55

Carlos Sainz Jr. McLaren/Renault

1’27.083

1.929

2.265

14

8

Romain Grosjean Haas/Ferrari

1’27.254

2.100

2.466

15

63

George Russell Williams/Mercedes

1’27.455

2.301

2.702

16

26

Daniil Kvyat AlphaTauri/Honda

1’27.882

2.728

3.204

17

20

Kevin Magnussen Haas/Ferrari

1’28.236

3.082

3.619

18

6

Nicholas Latifi Williams/Mercedes

1’28.430

3.276

3.847

19

99

A.Giovinazzi Alfa Romeo/Ferrari

1’28.433

3.279

3.851

20

7

Kimi Räikkönen Alfa Romeo/Ferrari

1’28.493

3.339

3.921

 

Classificação:

 Cla 

 Nº 

 Piloto   Carro / Motor 

 Voltas 

 Tempo 

 Atraso/Abandono 

1

33

Max Verstappen Red Bull/Honda

52

1:19’41.993

2

44

Lewis Hamilton Mercedes

52

1:19’53.319

11.326

3

77

Valtteri Bottas Mercedes

52

1:20’01.224

19.231

4

16

Charles Leclerc Ferrari

52

1:20’11.282

29.289

5

23

Alexander Albon Red Bull/Honda

52

1:20’21.139

39.146

6

18

Lance Stroll Racing Point/Mercedes

52

1:20’24.531

42.538

7

27

Nico Hülkenberg Racing Point/Mercedes

52

1:20’37.944

55.951

8

31

Esteban Ocon Renault

52

1:20’46.766

1’04.773

9

4

Lando Norris McLaren/Renault

52

1:20’47.537

1’05.544

10

26

Daniil Kvyat AlphaTauri/Honda

52

1:20’51.662

1’09.669

11

10

Pierre Gasly AlphaTauri/Honda

52

1:20’52.635

1’10.642

12

5

Sebastian Vettel Ferrari

52

1:20’55.363

1’13.370

13

55

Carlos Sainz Jr. McLaren/Renault

52

1:20’56.063

1’14.070

14

3

Daniel Ricciardo Renault

51

1:19’48.644

1 Volta

15

7

Kimi Räikkönen Alfa Romeo/Ferrari

51

1:20’05.037

1 Volta

16

8

Romain Grosjean Haas/Ferrari

51

1:20’07.207

1 Volta

17

99

A.Giovinazzi Alfa Romeo/Ferrari

51

1:20’13.007

1 Volta

18

63

George Russell Williams/Mercedes

51

1:20’13.889

1 Volta

19

6

Nicholas Latifi Williams/Mercedes

51

1:20’14.496

1 Volta

(20)

20

Kevin Magnussen Haas/Ferrari

43

1:08’20.363

Abandono

5-segundos de penalização por voltar à pista de forma tmeráira

 

mundial:

 Cla 

 Piloto 

 Pontos 

Grandes Prêmios

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

1

Lewis Hamilton

107  

12

25

26

25

19

2

Max Verstappen

77  

-

15

18

19

25

3

Valtteri Bottas

73  

25

18

15

-

15

4

Charles Leclerc

45  

18

-

-

15

12

5

Lando Norris

38  

16

10

-

10

2

6

Alexander Albon

36  

-

12

10

4

10

7

Lance Stroll

28  

-

6

12

2

8

8

Sergio Pérez

22  

8

8

6

9

Daniel Ricciardo

20  

-

4

4

12

-

10

Esteban Ocon

16  

4

-

-

8

4

11

Carlos Sainz Jr.

15  

10

3

2

-

-

12

Pierre Gasly

12  

6

-

-

6

-

13

Sebastian Vettel

10  

1

-

8

1

-

14

Nico Hülkenberg

6  

-

6

15

Antonio Giovinazzi

2  

2

-

-

-

-

16

Daniil Kvyat

2  

-

1

-

-

1

17

Kevin Magnussen

1  

-

-

1

-

-

18

Kimi Räikkönen

0  

-

-

-

-

-

19

Nicholas Latifi

0  

-

-

-

-

-

20

George Russell

0  

-

-

-

-

-

21

Romain Grosjean

0  

-

-

-

-

-

Hamilton 6ª pole  e 6ª vitória em Silverstone

2020 British GP

O GP da Inglaterra demonstrou como a Mercedes e Cia podem ser derrotados: só pelas quebras. Pois foi o fortuito que determinou o pódio de Silverstone. A quebra — pneus furado de Valtteri Bottas  — foi que determinou o 2º lugar de Max Verstappen e o presente do 3º lugar a Charles Leclerc. Tudo isso na volta 50, das 52 da corrida. Sim, porque até a penúltima volta, a vitória de Lewis Hamilton e a dobradinha dos Flechas Negras era total.

A atração deste GP da  Inglaterra ficava por conta dos duelos das McLaren do promissor Lando Norris e Carlos Sainz, Dailiel Ricciardo, Esteban Ocon e Pierre Gasly, que fez uma ultrapassagem magnífica sobre  Sebastian Vettel, na disputa da 10ª colocação, ressaltando a péssima fase da Ferrari.

Lewis e Bottas largaram na primeira  fila a mantiveram durante 50 voltas. A disputa inicial de Max Verstappen e Charles Leclerc só aconteceu apenas na largada, depois acomodaram-se e limitaram-se a seguir os carros da Mercedes, sem muita pretensão. Porém a duas voltas do final a emoção tomou conta do grande prêmio — caso raro na F-1 2020 –. Foi quando pneu traseiro  esquerdo do carro de Bottas desmanchou- se sendo ultrapassado por Verstappen e Leclerc. Uma volta depois foi a Mercedes de Hamilton que teve o mesmo problema, e Verstappen só não ganhou a corrida porque foi chamado ao boxe para trocar os pneus para fazer a volta mais rápida. Foi um erro de estratégia, por que se o holandês se mantivesse na pista, teria fatalmente tirado os 13 segundos que o separava de  Hamilton e venceria o GP da Inglaterra já que o inglês arrastou o seu carro claudicando até a bandeirada. Moral da história: a fome por  mais um pontinho fez Verstappen perder 25 e a vitória. Mas domingo haverá outro grande prêmio em Silverstone, o da comemoração dos 70 anos da Fórmula 1, tomara que seja com emoções. (LM)

Grid:

 Cla 

 Nº 

 Piloto   Carro / Motor 

 Tempo 

 Atraso
[s]  

 Atraso
[%]  

1

44

Lewis Hamilton Mercedes

1’24.303

-

-

2

77

Valtteri Bottas Mercedes

1’24.616

0.313

0.371

3

33

Max Verstappen Red Bull/Honda

1’25.325

1.022

1.212

4

16

Charles Leclerc Ferrari

1’25.427

1.124

1.333

5

4

Lando Norris McLaren/Renault

1’25.782

1.479

1.754

6

18

Lance Stroll Racing Point/Mercedes

1’25.839

1.536

1.822

7

55

Carlos Sainz Jr. McLaren/Renault

1’25.965

1.662

1.971

8

3

Daniel Ricciardo Renault

1’26.009

1.706

2.024

9

31

Esteban Ocon Renault

1’26.209

1.906

2.261

10

5

Sebastian Vettel Ferrari

1’26.339

2.036

2.415

11

10

Pierre Gasly AlphaTauri/Honda

1’26.501

2.198

2.607

12

23

Alexander Albon Red Bull/Honda

1’26.545

2.242

2.659

13

27

Nico Hülkenberg Racing Point/Mercedes

1’26.566

2.263

2.684

14

20

Kevin Magnussen Haas/Ferrari

1’27.158

2.855

3.387

15

99

A.Giovinazzi Alfa Romeo/Ferrari

1’27.164

2.861

3.394

16

7

Kimi Räikkönen Alfa Romeo/Ferrari

1’27.366

3.063

3.633

17

8

Romain Grosjean Haas/Ferrari

1’27.643

3.340

3.962

18

6

Nicholas Latifi Williams/Mercedes

1’27.705

3.402

4.035

19

26

Daniil Kvyat AlphaTauri/Honda

1’26.744

2.441

2.896

-penalizado por em 5 posições por trocar câmbio

20

63

George Russell Williams/Mercedes

1’27.092

2.789

3.308

5-punido em 5 posições por desobedecer bandeira amarela

 

Classificação:

 Cla 

 Nº 

 Piloto   Carro / Motor 

 Voltas 

 Tempo 

 Atraso/Abandono 

1

44

Lewis Hamilton Mercedes

52

1:28’01.283

2

33

Max Verstappen Red Bull/Honda

52

1:28’07.139

5.856

3

16

Charles Leclerc Ferrari

52

1:28’19.757

18.474

4

3

Daniel Ricciardo Renault

52

1:28’20.933

19.650

5

4

Lando Norris McLaren/Renault

52

1:28’23.560

22.277

6

31

Esteban Ocon Renault

52

1:28’28.220

26.937

7

10

Pierre Gasly AlphaTauri/Honda

52

1:28’32.471

31.188

8

23

Alexander Albon Red Bull/Honda

52

1:28’33.953

32.670

9

18

Lance Stroll Racing Point/Mercedes

52

1:28’38.594

37.311

10

5

Sebastian Vettel Ferrari

52

1:28’43.140

41.857

11

77

Valtteri Bottas Mercedes

52

1:28’43.450

42.167

12

63

George Russell Williams/Mercedes

52

1:28’53.287

52.004

13

55

Carlos Sainz Jr. McLaren/Renault

52

1:28’54.653

53.370

14

99

A.Giovinazzi Alfa Romeo/Ferrari

52

1:28’55.488

54.205

5-second penalty for causing a collision

15

6

Nicholas Latifi Williams/Mercedes

52

1:28’55.832

54.549

16

8

Romain Grosjean Haas/Ferrari

52

1:28’56.333

55.050

17

7

Kimi Räikkönen Alfa Romeo/Ferrari

51

1:28’40.265

1 Volta

(12)

26

Daniil Kvyat AlphaTauri/Honda

11

20’32.601

Furo

(15)

20

Kevin Magnussen Haas/Ferrari

1

1’43.753

Colisão

27

Nico Hülkenberg Racing Point/Mercedes

0

Não alinhou

Mundial:

 Pontos 

Grandes Prêmios

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

1

Lewis Hamilton

88  

12

25

26

25

2

Valtteri Bottas

58  

25

18

15

-

3

Max Verstappen

52  

-

15

18

19

4

Lando Norris

36  

16

10

-

10

5

Charles Leclerc

33  

18

-

-

15

6

Alexander Albon

26  

-

12

10

4

7

Sergio Pérez

22  

8

8

6

8

Lance Stroll

20  

-

6

12

2

9

Daniel Ricciardo

20  

-

4

4

12

10

Carlos Sainz Jr.

15  

10

3

2

-

11

Esteban Ocon

12  

4

-

-

8

12

Pierre Gasly

12  

6

-

-

6

13

Sebastian Vettel

10  

1

-

8

1

14

Antonio Giovinazzi

2  

2

-

-

-

15

Daniil Kvyat

1  

-

1

-

-

16

Kevin Magnussen

1  

-

-

1

-

17

Nicholas Latifi

0  

 

2020 Hungarian GP

A Mercedes, e Hamilton, fazem a festa  a cada corrida

Se não fosse a bravura de Max Verstappen o GP da Hungria seria enfadonho. Isso porque o holandês foi o único piloto a obrigar  com as Mercedes metendo-se entre Lewis Hamilton e Valtteri Bottas no pódio. Já que amais uma vez as Mercedes dominaram  o grid e se anunciava outra dobradinha dos carros negros, sem previsão de ameaças. Hamilton seguiu o script. Fez a sua 90ª pole position e emplacou a 86 vitória — 8ª na Hungria — numa performance irrepreensível, que culminou  com a volta mais rápida e a liderança do campeonato. Já Bottas, cometeu uma barbeiragem     na partida, ao queimar a largada e depois tirar o pé para não ser punido, animou a corrida húngara propiciando ao bravo Verstappen brigar pelo 2º lugar no pódio.

Sem dúvida, Max Verstappen foi o grande nome do GP da Hungria. Iniciou o domingo mal. Bateu seu Red Bull na volta de  reconhecimento, comprometendo a suspensão dianteira e a aerodinâmica  do seu carro. Uma pancada forte que manteve a dúvida sobre se largaria até o minuto derradeiro da largada.  A equipe foi  competente e rápida entregando o carro — uma incógnita — para o piloto tentar a sorte.

Corajoso, Verstappen pulou do 7º lugar do grid para 3º e, em seguida, venceu  Lance Stroll — uma surpresa com o seu Racing Point na 3ª colocação — e as duas Ferrari de  Sebastian Vettel ( 5º) e  Charlesl Leclerc (6º), com  o claro intuito de fugir da Mercedes de Bottas, seu inimigo anunciado, que caíra  para 4º na partida.

Claro que Bottas reagiu. A Mercedes concentrou  nele a estratégia principal  já que Hamilton corria  soberbo e folgado na ponta. Há 10 voltas das 70 do grande prêmio, os cálculos dos engenheiros de Bottas era o de que ele encostaria em Verstappen na antepenúltima, se  mantivesse a perseguição na qual ganhava 1,5 segundo por volta. Realmente aconteceu. Porém o holandês, mesmo com os pneus desgastados, não permitiu a ultrapassagem, agindo  brilhantemente ao aproveitar a presença de retardatários que colocou entre ele e Bottas.

Não fosse a valentia de Verstappen, se descreveria este GP da Hungria com mais uma superioridade das Mercedes e novo fracasso da Ferrari. Vetel e Leclerc classificaram-se mal no grid e na corrida o vexame foi maior. Ficaram atrás dos Racing Point de Stroll e Peres  enunca estiveram presentes na corrida. Vettel ainda emplacou um 5º lugar, mas Leclerc fechou em 16º, uma volta atrás de  Hamilton, Verstappen, Bottas, Stroll e Alexander Albon, da Red Bull.  E o pior, a própria Ferrari admite que pouco poderá mostrar na temporada.(LM)

Grid:

 Cla 

 Nº 

 Piloto   Carro / Motor 

 Tempo 

 Atraso
[s]  

 Atraso
[%]  

1

44

Lewis Hamilton Mercedes

1’13.447

-

-

2

77

Valtteri Bottas Mercedes

1’13.554

0.107

0.146

3

18

Lance Stroll Racing Point/Mercedes

1’14.377

0.930

1.266

4

11

Sergio Pérez Racing Point/Mercedes

1’14.545

1.098

1.495

5

5

Sebastian Vettel Ferrari

1’14.774

1.327

1.807

6

16

Charles Leclerc Ferrari

1’14.817

1.370

1.865

7

33

Max Verstappen Red Bull/Honda

1’14.849

1.402

1.909

8

4

Lando Norris McLaren/Renault

1’14.966

1.519

2.068

9

55

Carlos Sainz Jr. McLaren/Renault

1’15.027

1.580

2.151

10

10

Pierre Gasly AlphaTauri/Honda

-

-

-

11

3

Daniel Ricciardo Renault

1’15.661

2.214

3.014

12

63

George Russell Williams/Mercedes

1’15.698

2.251

3.065

13

23

Alexander Albon Red Bull/Honda

1’15.715

2.268

3.088

14

31

Esteban Ocon Renault

1’15.742

2.295

3.125

15

6

Nicholas Latifi Williams/Mercedes

1’16.544

3.097

4.217

16

20

Kevin Magnussen Haas/Ferrari

1’16.152

2.705

3.683

Largou dos boxes

17

26

Daniil Kvyat AlphaTauri/Honda

1’16.204

2.757

3.754

18

8

Romain Grosjean Haas/Ferrari

1’16.407

2.960

4.030

Largou dos boxe

19

99

A.Giovinazzi Alfa Romeo/Ferrari

1’16.506

3.059

4.165

20

7

Kimi Räikkönen Alfa Romeo/Ferrari

1’16.614

3.167

4.312

 

Classificação:

loto   Carro / Motor 

 Voltas 

 Tempo 

 Atraso/Abandono 

1

44

Lewis Hamilton Mercedes

70

1:36’12.473

2

33

Max Verstappen Red Bull/Honda

70

1:36’21.175

8.702

3

77

Valtteri Bottas Mercedes

70

1:36’21.925

9.452

4

18

Lance Stroll Racing Point/Mercedes

70

1:37’10.052

57.579

5

23

Alexander Albon Red Bull/Honda

70

1:37’30.789

1’18.316

6

5

Sebastian Vettel Ferrari

69

1:36’17.961

1 Volta

7

11

Sergio Pérez Racing Point/Mercedes

69

1:36’19.099

1 Volta

8

3

Daniel Ricciardo Renault

69

1:36’20.049

1 Volta

9

55

Carlos Sainz Jr. McLaren/Renault

69

1:36’34.468

1 Volta

10

20

Kevin Magnussen Haas/Ferrari

69

1:36’42.396

1 Volta

10-segundos punição por manobra perigosa no grid

11

16

Charles Leclerc Ferrari

69

1:36’52.962

1 Volta

12

26

Daniil Kvyat AlphaTauri/Honda

69

1:36’57.822

1 Volta

13

4

Lando Norris McLaren/Renault

69

1:36’58.561

1 Volta

14

31

Esteban Ocon Renault

69

1:36’59.437

1 Volta

15

7

Kimi Räikkönen Alfa Romeo/Ferrari

69

1:37’06.078

1 Volta

16

8

Romain Grosjean Haas/Ferrari

69

1:37’14.897

1 Volta

Penalizado em 10 segundos, obstrução de ultrapassagem

17

99

A.Giovinazzi Alfa Romeo/Ferrari

69

1:37’26.709

1 Volta

18

63

George Russell Williams/Mercedes

69

1:37’27.844

1 Volta

19

6

Nicholas Latifi Williams/Mercedes

65

1:37’02.721

5 Voltas

(18)

10

Pierre Gasly AlphaTauri/Honda

15

22’50.273

 

Campeonato:

 Cla 

 Piloto 

 Pontos 

Grandes Prêmios

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

1

Lewis Hamilton

63  

12

25

26

2

Valtteri Bottas

58  

25

18

15

3

Max Verstappen

33  

-

15

18

4

Lando Norris

26  

16

10

-

5

Alexander Albon

22  

-

12

10

6

Sergio Pérez

22  

8

8

6

7

Charles Leclerc

18  

18

-

-

8

Lance Stroll

18  

-

6

12

9

Carlos Sainz Jr.

15  

10

3

2

10

Sebastian Vettel

9  

1

-

8

11

Daniel Ricciardo

8  

-

4

4

12

Pierre Gasly

6  

6

-

-

13

Esteban Ocon

4  

4

-

-

14

Antonio Giovinazzi

2  

2

-

-

15

Daniil Kvyat

1  

-

1

-

16

Kevin Magnussen

1  

-

-

1

17

Kimi Räikkönen

 

Hamilton Styrin

Hamilton passeou no GP da Styria

O GP de Styria, realizado na  Áustria, no circuito de Spilberg, o mesmo circuito do grande prêmio do pais, aconteceu simplesmente mais um desfile da Mercedes Benz, desta vez com Lewis Hamilton, que venceu de ponta a ponta. A rigor, foi um  fim de semana-show do inglês que completou uma volta espetacular na classificação sob um dilúvio que desabou no circuito. Foi mais de um segundo de vantagem de Max Verstappen, o segundo colocado, numa formação de grid em que ele marcou a sua 89ª pole position nu num espetáculo no qual os pilotos mais pareciam aqualoucos.

Da corrida há pouco a dizer de Lewis, a não ser que ele foi quase perfeito num desfile em que não teve ameaças, seguido por Valtteri Bottas em mais uma dobradinha da Mercedes.  Louve-se o esforço de Max Verstappen, que estoicamente manteve a segunda posição a té a penúltima das 71 voltas quando foi superado pelo finlandês. Também, com boa vontade, pose-se salientar, os ótimos duelos pela posições intermediárias entre a McLaren e a Racing Point, com Carlos Sainz e Lando Norris contra Sergio Peres e Lance Stroll protagonizando várias ultrapassagens e troca de posições durante toda a prova.

E a Ferrari? Bem o time italiano merece um capítulo à parte nesta corrida da Styria. Foi um vexame para passar à história. Na classificação ambos perderam  posições no grid por  obstarem tentativas de classificações de adversários obrigando Sebastian Vettel a largar em 10º e Charles Leclerc em 11º. Mas se na formação  do grid a colocação foi vexatória, na corrida foi pior. Pois logo na segunda curva Leclerc subiu na zebra decolou e atingiu a Ferrari de Vettel ficando ambos fora  do grande prêmio. Leclerc assumiu a culpa pelo fiasco, mas há muito mais na Ferrari por ser assumido neste início de temporada. Na verdade, desde que a FIA examinou o motor italiano, antes da largada da temporada  — aceitando uma denúncia da Red Bull — que a potência do seu motor,  principalmente nas retas, não apresenta a potência de 2019. A Federação Internacional de Automobilismo manteve o resultado do exame sob sigilo, mas é notório que o propulsor italiano caiu de potência.

No próximo domingo teremos a terceira corrida de ano, o GP da Hungria. Mas pelo que se viu nas duas corridas na pista da Red Bull Ring dificilmente ocorrerá  grande novidades. A depender da Ferrari será muito difícil, a opção é torcer para que a Red Bull, e principalmente Verstappen, faça alguma proeza para dificultar outro desfile das Mercedes, (M)

Campeonato:


 Piloto 

 Pontos 

Grandes Prêmios

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

1

Valtteri Bottas

43  

25

18

2

Lewis Hamilton

37  

12

25

3

Lando Norris

26  

16

10

4

Charles Leclerc

18  

18

-

5

Sergio Pérez

16  

8

8

6

Max Verstappen

15  

-

15

7

Carlos Sainz Jr.

13  

10

3

8

Alexander Albon

12  

-

12

9

Pierre Gasly

6  

6

-

10

Lance Stroll

6  

-

6

11

Esteban Ocon

4  

4

-

11

Daniel Ricciardo

4  

-

4

13

Antonio Giovinazzi

2  

2

-

14

Daniil Kvyat

1  

-

1

15

Sebastian Vettel

1  

1

-

16

Nicholas Latifi

 

2020 Austrian GP

Bottas 1º vencedor de 2020

Depois de um grande suspense a F-12020 deu a largada no GP da Áustria com a mesmice das vitórias da Mercedes, nesta estréia com Valtteri Bottas de ponta a ponta. Quem olhar o pódio  formado por Bottas, Charles Leclerc (Ferrari) e Lando Norris (McLaren-Renault) pode ter a falsa impressão de que foi uma corrida bem disputada. Mas, na verdade, foi apenas a repetição da superioridade da Mercedes do ano passado, com participação definitiva dos acidentes e as punições nas colocações finais.

Para começar Lewis Hamilton foi punido na formação do grid, perdendo três posições, baixando de 2º para 5º por não obedecer uma bandeira amarela na última  volta da Q3. Durante as 71 voltas da prova, as três entradas do safety car, motivadas pelos acidentes de Kevin Magnussen (Haas-Ferrari) Romain Grosjean (Haas-Ferrari) e Kimi Raikkonen (Alfa Romeo-Ferrari) juntaram carros propiciando mais três largadas, desmanchando várias vantagens. Também o abandono de Max Verstappen, na 11ª volta,com pane hidráulica no seu Red Bull, a punição de Sergio Pérez (Racing Point) por ultrapassar a velocidade nos boxes e a batida de Lewis Hamilton em Alexander Albon, quando o tailandês da Red Bull ia ultrapassá-lo, rendeu ao hexacampeão 5 segundos de punição que  o tirou do 2º lugar do pódio para 4º, definiram as situações do GP austríaco.

Também esse primeiro grande prêmio da temporada demonstrou algumas constatações. Por exemplo: a Ferrari está mal e sua principal deficiência na Áustria foi a falta de potência no motor. Sebastian Vettel sequer chegou a disputar a pole position, ficando de fora da terceira bateria da classificação e Charles Leclerc passou na 10ª  e última posição da Q3, conseguindo apenas o 7º posto  no grid. O pódio de Leclerc se deu pela inteligência do seu boxe num pit stop de pneus, na penúltima estrada do safety car e a punição de Hamilton.

A Red Bull é candidata à segunda força do campeonato, pois embora Verstappen tenha abandonado, o novato Abon demonstrou que os carro está competitivo e será um páreo duro para a Ferrari. Louve-se, ainda, as boas corridas da McLaren, com o promissor Lando Norris e Carlos Sainz, a melhora da Rancing Point — clone da Mercedes — com Sergio Perez, e a irregular Renault de Daniel Ricciardo, embora haja uma distância quilométrica para a Mercedes, novamente a favorita a tudo na F12020. (LM)

Grid:

   Carro / Motor 

 Tempo 

 Atraso
[s]  

 Atraso
[%]  

1

77

Valtteri Bottas Mercedes

1’02.939

-

-

2

44

Lewis Hamilton Mercedes

1’02.951

0.012

0.019

3

33

Max Verstappen Red Bull/Honda

1’03.477

0.538

0.855

4

4

Lando Norris McLaren/Renault

1’03.626

0.687

1.092

5

23

Alexander Albon Red Bull/Honda

1’03.868

0.929

1.476

6

11

Sergio Pérez Racing Point/Mercedes

1’03.868

0.929

1.476

7

16

Charles Leclerc Ferrari

1’03.923

0.984

1.563

8

55

Carlos Sainz Jr. McLaren/Renault

1’03.971

1.032

1.640

9

18

Lance Stroll Racing Point/Mercedes

1’04.029

1.090

1.732

10

3

Daniel Ricciardo Renault

1’04.239

1.300

2.065

11

5

Sebastian Vettel Ferrari

1’04.206

1.267

2.013

12

10

Pierre Gasly AlphaTauri/Honda

1’04.305

1.366

2.170

13

26

Daniil Kvyat AlphaTauri/Honda

1’04.431

1.492

2.371

14

31

Esteban Ocon Renault

1’04.643

1.704

2.707

15

8

Romain Grosjean Haas/Ferrari

1’04.691

1.752

2.784

16

20

Kevin Magnussen Haas/Ferrari

1’05.164

2.225

3.535

17

63

George Russell Williams/Mercedes

1’05.167

2.228

3.540

18

99

A.Giovinazzi Alfa Romeo/Ferrari

1’05.175

2.236

3.553

19

7

Kimi Räikkönen Alfa Romeo/Ferrari

1’05.224

2.285

3.630

20

6

Nicholas Latifi Williams/Mercedes

1’05.757

2.818

4.477

 

Classificação:

 Cla 

 Nº 

 Piloto   Carro / Motor 

 Voltas 

 Tempo 

 Atraso/Abandono 

1

77

Valtteri Bottas Mercedes

71

1:30’55.739

2

16

Charles Leclerc Ferrari

71

1:30’58.439

2.700

3

4

Lando Norris McLaren/Renault

71

1:31’01.230

5.491

4

44

Lewis Hamilton Mercedes

71

1:31’01.428

5.689

5-second penalty for causing a collision

5

55

Carlos Sainz Jr. McLaren/Renault

71

1:31’04.642

8.903

6

11

Sergio Pérez Racing Point/Mercedes

71

1:31’10.831

15.092

5-second penalty for speeding in the pit lane

7

10

Pierre Gasly AlphaTauri/Honda

71

1:31’12.421

16.682

8

31

Esteban Ocon Renault

71

1:31’13.195

17.456

9

99

A.Giovinazzi Alfa Romeo/Ferrari

71

1:31’16.885

21.146

10

5

Sebastian Vettel Ferrari

71

1:31’20.284

24.545

11

6

Nicholas Latifi Williams/Mercedes

71

1:31’27.389

31.650

12

26

Daniil Kvyat AlphaTauri/Honda

69

1:29’04.910

Furo

13

23

Alexander Albon Red Bull/Honda

67

1:26’42.987

Power Unit

(12)

7

Kimi Räikkönen Alfa Romeo/Ferrari

53

1:06’20.856

Roda

(13)

63

George Russell Williams/Mercedes

49

1:00’28.281

Pressão de combustível

(16)

8

Romain Grosjean Haas/Ferrari

49

1:01’35.277

Freios

(11)

20

Kevin Magnussen Haas/Ferrari

24

28’42.304

Freios

(14)

18

Lance Stroll Racing Point/Mercedes

20

24’01.226

Abandono

(19)

3

Daniel Ricciardo Renault

17

20’41.329

Superaquecimento

(20)

33

Max Verstappen Red Bull/Honda

11

13’57.678

Sistema hidráulico

 

 

Abu Dhabi

O primeiro time de Abu Dhabi

O primeiro GP da Abu Dhabi mostrou o panorama maravilhoso de Yas Marina. Conforme previsto, a corrida começou de dia e terminou iluminada pelos oito megawatts em luminárias.  Hamilton cravou uma pole position espetacular e liderou até ter problemas de freios propiciando a 3ª vitória da Red-Bull, garantindo o vice-campeonato para Sebastian Vettel, que viu sua vitória ameaçada por uma pixotada de Jaime Alguersuari (Toro Rosso) que errou a entrada do pit quase estragando a vitória de Vettel que por muito pouco não bate no espanhol parado no local do pit de Vettel.
. . A briga pelo 2º lugar entre Mark Webber e Jenson  Button foi animada até a bandeirada. Fernando Alonso (Renault) foi o último a fazer reabastecimento, uma operação proibida para a temporadade 2010, que marcaria Jean Todt na presidência da FIA desde então.( LM)

 

Memória o 1º GP de Abu Dhabi

 

Hamilton Monza 2014

O primeiro GP da Abu Dhabi mostrou o panorama maravilhoso de Yas Marina. Conforme previsto, a corrida começou de dia e terminou iluminada pelos oito megawatts em luminárias.  Hamilton cravou uma pole position espetacular e liderou até ter problemas de freios propiciando a 3ª vitória da Red-Bull, garantindo o vice-campeonato para Sebastian Vettel, que viu sua vitória ameaçada por uma pixotada de Jaime Alguersuari (Toro Rosso) que errou a entrada do pit quase estragando a vitória de Vettel que por muito pouco não bate no espanhol parado no local do pit de Vettel.
. . A briga pelo 2º lugar entre Mark Webber e Jenson  Button foi animada até a bandeirada. Fernando Alonso (Renault) foi o último a fazer reabastecimento, uma operação proibida para a temporadade 2010, que marcaria Jean Todt na presidência da FIA desde então.( LM)

Hamilton, com Nick Haidfeld  e Alexasnder Wurz no pódio do Canadá 2007

 

Hamilton 1º pódio Canada 2007

 

A primeira vitória de Lewis Hamilton aconteceu no GP do Canadá de 2007 e ficou marcada por um grito. Um urro gutural, de gozo e desabafo, ecoado e abafado dentro do capacete e transmitido para o mundo, quando ele cruzou a bandeirada da consagração. Além de ser a façanha, de ser primeiro piloto negro da Fórmula 1, acontecia, naquele momento, o triunfo anunciado de um novato que entrou na pista cercado pela curiosidade  e surpreendeu pelo talento. O jovem de 22 anos que ganhou o primeiro grande prêmio impondo-se à novidade da raça pela competência da pilotagem.

E não poderia haver uma pista melhor para a primeira vitória de Hamilton do que o circuito  canadense de Gilles Villeneuve, em Montreal. Um traçado difícil, com ciladas em cada curva, no qual ele estreava, mas deslizou tranqüilo por 70 voltas com  intimidade secular. Uma alegria que ele comemorou numa disparada direção do pai Anthony e do irmão, Nicholas, preso a uma cadeira de rodas pela paralisia cerebral. Cena pungente e muito fotografada, que o piloto fez questão de enviar ao avô Davidson, patriarca dos Hamilton, que prefere viver na tranqüilidade da caribenha Ilha de Granada a imigrar para a Inglaterra.

Hamilton foi um meteoro que deslumbrou a categoria top do automobilismo sem rompante, mas preparado para o desafio de conviver com o perigo e a celebridade.

Ele sabia que na Fórmula 1 a besta tem várias formas e a fama é o seu pior caráter. É  sedutora, mas cobra caro quando é alcançada e só é parceira durante o sucesso. Depois desaparece, sem dar esperança de que as proezas presentes serão arquivadas na posteridade.

“Vivo um sonho”, choramingou Hamilton, em meio aos risos pela simplicidade da atitude de quem atingia a vitória no sexto grande prêmio disputado. Ele mesmo estava admirados com a façanha de, além do primeiro triunfo, assumir a liderança do campeonato de 2007, à frente do bicampeão, e seu parceiro de McLaren, Fernando Alonso, e da dupla da Ferrari, Felipe Massa e Kimi Raikkonen, dos quais deveria ser mero coadjuvante.

Aos 22 anos, 4 meses e 7 dias, Lewis batia o recorde do próprio  Bruce McLaren, o fundador da escuderia, que tinha 22 anos, 5 meses e 9 dias quando assumiu a ponta do campeonato Mundial de 1960.  Lewis Hamilton, que atingiu o pódio na corrida de estréia  e continuou lá em cima, até a décima corrida da temporada, no GP da Inglaterra. E o mais fantástico,  passou a sério candidato a campeão do mundo e só perdeu o título no último grande prêmio.

Lewis tornou-se um herói para os britânicos que tiveram que engolir a Schumimania por uma década, a Alonsomania por dois anos, e foram à forra, embalados pela “Lewismania e o Hamiltonhisteria”  que criaram para festejar o seu novo ídolo da F-1. (LM)

 

*